Assista a íntegra da audiência de Mariana Ferrer em julgamento sobre estupro

Assista a íntegra da audiência de Mariana Ferrer em julgamento sobre estupro

O vídeo com a íntegra da audiência do processo foi divulgado pelo jornal O Estado de S. Paulo nesta quarta-feira (4/11). Mariana Ferreira Borges, conhecida como Mariana Ferrer, acusa o empresário André Aranha de estupro.

A notícia já havia sido publicada em outro jornal, sem muita repercurssão. A grande repercussão ocorreu depois que o The Intercept noticiou o processo, afirmando que o juiz havia aceitado a tese de “estupro culposo” contra o empresário. Ocorre que tal expressão não foi usada por nenhuma das partes, mas foi massivamente compartilhada nas redes sociais com o incremento da colocação de André Aranha como estuprador e que o Juiz e o Promotor, homens, teriam sido corrompidos para absolver o réu.

Ao se ler a sentença é possível observar que o Magistrado determinou que, como não foi possível determinar a vulnerabilidade da vítima (já que os exames toxicológicos mostraram que ela não estava alcoolizada nem drogada), e como não existe “estupro culposo”, valeria o princípio in dubio pro reo. Aranha foi absolvido.

Em um ponto polêmico, em trechos da audiência divulgados pelo site The Intercept, o advogado de Aranha, Cláudio Gastão da Rosa Filho, apresentou fotos produzidas por Mariana e publicadas em seu perfil no Instagram que ele classificou como “ginecológicas”, dizendo, entre outras coisas, que “jamais teria uma filha” do “nível de Mariana”. Ele também afirmou que Mariana estava fazendo um “showzinho” e que o seu “ganha pão era a desgraça dos outros”.

A enorme repercussão fez com que a OAB de Santa Catarina informasse que já encaminhado um ofício ao advogado pedindo informações preliminares para prosseguir na apuração do caso.

O Conselho Nacional de Justiça também se mobilizou: o conselheiro Henrique Ávila pediu apuração sobre a conduta do juiz Rudson Marcos, por não ter impedido o advogado de humilhar a influencer, considerando o que se tinha de informação até então.

O mesmo foi dito sobre o promotor do caso, Thiago Carriço de Oliveira, e o Conselho Nacional do Ministério Público esclareceu que já estava com um procedimento aberto de investigação desde outubro.

O próprio Ministério Público de Santa Catarina, por sua vez, pediu que fosse divulgado o vídeo com a íntegra da sessão para que ficasse claro que tanto o promotor quanto o juiz tinham intervindo para proteger Mariana.

Após terem conhecimento de todo o teor da Audiência, a maioria dos internautas demonstram sentimento de que teriam sido enganados e que julgaram de forma superficial o caso, sem o real conhecimento de todos os elementos probatórios.

Assista aqui a íntegra do vídeo da Audiência: